Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

TRANSSEXUALIDADE E RACISMO É TEMA DO PRÓXIMO CURSO DO DI JEJE

Curso começará dia 30 de Setembro, oferecerá 33 vagas e pretende discutir os marcadores de gênero e raça presentes na transfobia no Brasil. Inscreva-se!


O Coletivo Di Jeje, vem desde 2014 pautando encontros formativos pautando a questão da mulher negra.
Para nós, todos os temas que perpassam o universos dos negros estão co relacionados ao universo da mulher negra.
Pensando nessa questão, estamos propondo para Setembro, um curso on line sobre transsexualidade e racismo.
Prostituição, violação de direitos, violência sistemática por parte da sociedade e do Estado, desemprego, situações de exposição a violência, segregação e exclusão social serão temas discutidos em nosso encontro.
Serão oferecidas 33 vagas, o curso acontece totalmente on line, por dois meses as participantes podem acessar o conteúdo dentro de sua rotina, ao final receberão um certificado de 90 horas.
A curadoria do curso ainda não está definida, mais será organizado e conduzido por uma pesquisadora negra e trans.

Serviço

POLITÍCA DE DROGAS E A CONDIÇÃO DA MULHER NEGRA É O TEMA DO PRÓXIMO CURSO ON LINE DO DI JEJE

Curso começa em Outubro e propõe discutir o desenho da politica de droga no estado brasileiro e o impacto da mesma na vida da população negra, sobretudo as mulheres negras. Inscrições já estão abertas, e serão oferecidas 33 vagas. Inscreva-se!




Os estudos sobre o processo de encarceramento em massa da população negra, apontam que um dos pilares é a luta contra as drogas. Ela também é a causadora direta da guerra civil que domina nosso país. Exterminados pelo Estado através da polícia, ou no confronto armando entre as gangues e facções criminosas, é a comunidade negra quem sofre com a politica de drogas perpetrada em nosso país desde 1960.  Esse é um curso que visa discutir os contornos da politica de droga e o impacto direto da mesma na vida da população negra, e a forma como através do combate as drogas, o governo brasileiro, orquestra a mais de 5 décadas o extermino sistemático da população negra. Acontecerá totalmente on line, com certificação de 90 horas e é voltado a pesquisadora…

CURSO ON LINE SOBRE FEMINISMO INTERSECCIONAL COMEÇA EM SETEMBRO

Curso pretende discutir o conceito de interseccionalidade e pensamento decolonial, dentro do feminismo na América Latina. Inscrições já estão abertas, e curso começa em Setembro com certificação de 90 horas. Inscreva-se!
Interseccionalidade (ou teoria interseccional) é o estudo da sobreposição ou intersecção de identidades sociais e sistemas relacionados de opressão, dominação ou discriminação. A teoria sugere e procura examinar como diferentes categorias biológicas, sociais e culturais, tais como gênero, raça, classe, capacidade, orientação sexual, religião, casta, idade e outros eixos de identidade interagem em níveis múltiplos e muitas vezes simultâneos. Este quadro pode ser usado para entender como a injustiça e a desigualdade social sistêmica ocorrem em uma base multidimensional.A interseccionalidade sustenta que as conceituações clássicas de opressão dentro da sociedade — tais como o racismo, o sexismo, o classismo, capacitismo, bifobia, homofobia e a transfobia e intolerâncias …

Curso on line sobre feminismo negro, racismo e cyber ativismo começa em Setembro

Curso abordará o feminismo negro e a luta anti racista a partir do cyber ativismo, destacando a articulação via mídias sociais. O curso começa dia 10 de Outubro, acontecerá on line e oferecerá 24 vagas. Inscreva-se!



ciberativismo é um termo recente e consiste na utilização da internet por grupos politicamente motivados que buscam difundir informações e reivindicações sem qualquer elemento intermediário com o objetivo de buscar apoio, debater e trocar informação, organizar e mobilizar indivíduos para ações, dentro e fora da rede. Hastages, tuitaços, likes, lives e afins são as estratégias utilizadas pela nova geração de ativistas.  No movimento negro, isso não tem sido diferente, sobretudo podemos destacar ativistas negras que se destacam por suas reflexões, analises e proposições, e que muitas vezes extrapolam as midias digitais. Nesse curso, vamos conehcer a produção realizada pela arquiteta, feminista negra e ativista Stephanie Ribeiro, além de conhecermos sobre o trabalho desenvolvi…